On quinta-feira, 14 de outubro de 2010 8 comentários

Paz e graça a cada um dos leitores do Conversa Decente Cristã! Há algum tempo ando angustiada. É como se toda a tristeza existente no mundo estivesse sobre minhas costas, e por mais que tente, não consigo livrar-me deste sentimento, apenas por uma razão, sobre a qual iremos conversar e refletir um pouco hoje.




Algo de muito errado, de forma gradativa, tem crescido a passos largos. Seu nome é indiferença, e toda vez que paro pra pensar a respeito, vejo seus tentáculos maléficos nos prendendo no fundo do abismo chamado desamor, moldando nossa vida de forma trágica, nos cegando e tornando nossos ouvidos insensíveis aos gritos dos necessitados, nos matando a cada instante.

Sempre que ocorre algum tipo de desrespeito, por parte de nossos semelhantes, das autoridades ou dos governantes de nosso país a nossos direitos, mortes causadas por motivos fúteis, banais, pais se voltando contra filhos e vice-versa, quando olhamos para o próximo reduzindo-o a muito menos que um mísero cão abandonado na rua, quando nada mais faz sentido - citando aqui Philip Yancey em seu livro Maravilhosa Graça: "é mais fácil encontrar sexo em qualquer esquina do que um abraço acolhedor, de aceitação na igreja" - quando o que importa na verdade é o que possuímos e podemos oferecer e não o que somos, só posso pensar que, ainda que de forma indireta, somos os responsáveis!

Perdoem-me se isso parece insano, o leitor é livre para discordar, mas não posso pensar de modo diverso, há fundamento, infelizmente, no que estou dizendo. O escritor
Érico Veríssimo acertou ao escrever que o contrário do amor não é ódio, é indiferença. Tudo começa com pequenos gestos, olhares desatentos, perda de sensibilidade ao sofrimento alheio, endurecimento do coração, o hedonismo impera e o "eu" fala mais alto - é tudo para mim, quanto mais posses, dinheiro, status, influência e poder, melhor; dessa forma, farei o que quiser, posso oprimir, escravizar, torturar e até matar, e quem poderá me impedir? Isso não nos soa estranho, não é verdade?

A busca por prazer, segurança e poder, nos faz ganhar o mundo, mas em troca, nos leva o coração, o ser humano que somos, o amor por Deus e pelo próximo, então viramos fantoches da rotina, correria e de todo este sistema demoníaco. Pecamos por omissão, o farisaísmo e a hipocrisia passam a ser nossa bússola diária.

"E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos." (Mateus 24.12)


É tempo de parar de fingir que está tudo bem, de negligenciar os órfãos, desabrigados, viúvas e doentes. Tempo de enxergar que nosso país está sendo mal administrado e que a corrupção e todas as infâmias geradas por ela, não são devaneios, apesar de tudo acabar em pizza! Ocasião de deixar de argumentar contra o fato de que não somos bonzinhos, não fazemos nosso dever de casa como deveríamos, que somos pecadores, e que nem tudo que pensamos ou buscamos almejar é lícito ou louvável. Parar de disseminar a idéia falsa de que Deus é um conto da carochinha, que tudo está à mercê do acaso e que o amor não existe.

Está tudo errado! Parece clichê, eu sei, mas é a verdade! Não sei quanto a você, mas não quero fingir que o normal é ser indiferente, insensível, concordar com uma igreja voltada para si mesma, fechada, com cristãos revestidos de máscaras, compactuando com o pecado, portadores de amnésia espiritual, esquecendo como Jesus vivia - não visando nada além do que fazer a vontade do Pai.

Quero ser melhor do que tenho tentado ser até agora, poder amar a cada pessoa, não importando sua aparência e situação, olhar em seus olhos e ver não um objeto que posso manipular, mas alguém criado à imagem e semelhança de Deus, alguém por quem Cristo escolheu morrer. Desejo amá-las de tal forma que suas vidas sejam marcadas enquanto viverem, porque de nada adianta chorar ou demonstrar algum sentimento, ainda que verdadeiro, perante um túmulo, se o amor não for expresso e compartilhado no decorrer da vida!

Quero que os que estiverem ao meu lado saibam, que mesmo imperfeita e limitada, indiferente muitas vezes, os amo e desejo amar muito mais. E acima de tudo, quero amar a Deus de todo o coração, acima de qualquer circunstância! Anelo que isso seja uma realidade em minha vida e na de todos aqueles que chegarem a ler este texto.

Anseio alcançar o futuro, olhando para o presente e sentir que fiz diferença! Deixar passos eternos no tempo, passos que sejam raios brilhantes e cheios de esperança nos dias escuros e tempestuosos dos que sofrem, que eles possam guiar muitos à fonte da qual busco ser uma vertente - Jesus - e que através de minhas tímidas pegadas, muitas outras se desprendam do áspero e duro chão da indiferença para a torre forte, o farol resplandecente do Amor!

Esta é a minha oração e o meu convite neste dia! Quem se junta a mim?



8 comentários:

Anderson Alexandre disse...

Gerlane, minha cara amiga. Concordo com tudo o que você escreveu e sinto isso o tempo todo. Só Deus sabe como tenho suportado algumas coisas.

Eu me junto a você.

Deus te abençoe, ricamente.

Comeceu ler o Livro Maravilhosa Graça hoje. A cabei de ler "A FESTA DE BEBETE"

Gerlane Oliveira disse...

Paz Anderson!

Mesmo em meio às dificuldades, Deus cuida de nós, e devemos cuidar uns dos outros. Isso é amor, é Graça!Você não está só, viu?!;D

Continue a leitura de Maravilhosa Graça, é simplesmente incrível!

Que muitos se juntem a nós! Deus te abençoe muitíssimo mais!

Grande abraço, maninho e chute na canela,rs.

Alex Holliwer disse...

Olá Rubi. A paz do SENHOR.
Esse é meu assunto predileto, fico felicíssimo em saber que estamos juntos nesta luta contra o desamor.

Pode parecer estranho, mas algumas vezes penso que Deus deveria ter feito o homem sem olhos, porque ele é um dos maiores responsáveis pela indiferença e como diz a Palavra: "Portanto, se o teu olho direito te escandalizar, arranca-o e atira-o para longe de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno." Mt 5:29

Que cada um de nós possamos olhar o próximo, seja um executivo, um gari ou aquele morador de rua, que semelhantemente a Cristo (nos tempos antigos), não tem onde cair morto. Digo isso porque até a Sua sepultura foi doada - e muita gente só quer Ele hoje, porque é o Dono do ouro e da prata

Vão deixando de vestir, dar de comer e visitar o Mestre e depois já sabem...

Estamos juntos, sim. Para o que der e vier.

Ah... Um chute carinhoso na canela - rsrs -Bjoo

Gerlane Oliveira disse...

Paz do Senhor, Leleko!

Este é um assunto tão atual quanto nos dias de Cristo,e digo mais,é algo que incomoda de verdade a um grande número de pessoas,embora muitas delas preferem fingir que não há nada de errado acontecendo.

Interessante seu pensamento sobre os olhos,mas penso que o problema não está propriamente nos olhos,e sim na disposição do coração de quem vê.

Como todas as demais coisas, o problema está no coração: "Porque do coração procedem maus desígnios, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos, blasfêmias." (Mt. 15.19)

Coração revestido da graça e do amor de Deus, resulta em olhos curados da indiferença e toda maldade e atitudes sábias. É justamente o que precisamos!

É bom saber que estamos juntos!

Forte abraço, e como sempre, chute na canela. rsrs.

Francisco Evangelista disse...

Insensibilidade é cada vez mais uma praga da era pós-moderna.
Cada dia surgem novos levitas e sacerdotes, e vão sumindo os bons-samaritanos.
Nesta terra árida pela indiferença, minha oração é que muitos orvalhos de amor se multipliquem e que nossa vida seja cada vez menos cruel e mais amorosa.

Gerlane Oliveira disse...

Francisco Evangelista, muito obrigada por seu comentário.

Esta também tem sido minha oração!

Corações regados pelo amor do Pai, transbordantes, brotando sementes de vida, amor e alegria na vida de muitos outros! Humanos, de fato, não máquinas. Pessoas mais parecidas com Jesus!

Roni disse...

ENTÃO, NÃO ME CONSIDERO CRISTÃO NESTE SENTIDO Q UVC COLOCA, HÁ ALGUMAS QUESTÕES Q EU DISCORDO, NO ENTANTO O RESPEITO É FUNDAMENTAL...EU CONCORDO COM VC QDO VC DIZ Q OS MAIORES PROBLEMAS DO MUNDO ESTA NA INDIFERENÇA, NO ENTANTO, NÃO ACHO Q IMPOR DOUTRINAS (NAUM ESTOU DIZENDO Q É SEU CASO) SEJA SATISFATÓRIO. eU DIGO ISSO POR QUE ENTRE O SEXO NA ESQUINA E O ABRAÇOS NA IGREJA, EU CERTAMENTE FICARIA COM O SEXO...ISTO É, GOSTARIA DE SER LIVRE PARA ESCOLHE-LO, E O CRISTIANISMO NAUM ME PERMITIRIA ISSO.

MAS VALEW PELA REFLEXÃO.

http://porumaportaiconoclasta.blogspot.com/

Gerlane Oliveira disse...

Olá Roni. Obrigada por expressar seu ponto de vista aqui! Gosto de pessoas que são sinceras no que dizem, e ainda que discordemos em algumas coisas, o respeito da mesma forma.

Olha só, neste quesito que você apontou do sexo na esquina e o abraço na igreja, há um equívoco da sua parte. Digo isso, por que o contexto onde esta frase está inserida é diferente. Aqui, o autor estava chamando a atenção, não para o ato de escolher entre duas opções, mas para o fato da indiferença, para o fato de que era mais fácil encontrar sexo na rua do que atenção, respeito na igreja (estas palavras foram proferidas por um homossexual que conversava com Philip Yancey - autor do livro Maravilhosa Graça, citado no meu texto). Fica aí a dica pra você ler, se assim desejar, é um ótimo livro!

Eu não concordo quando você diz que o Cristianismo não permite escolher o sexo. Ao contrário, foi Deus quem criou o sexo, assim como todas as demais coisas, entretanto, o uso dele segundo os planos do próprio Deus é que seja um ato de amor entre duas pessoas que legalmente se uniram em matrimônio, a fim de formar uma família.

O seu uso indiscriminado é que está totalmente fora dos padrões divinos, e isso implica uma série de consequências desastrosas, como promiscuidade, gravidez indesejada e inúmeras vezes, abortos decorridos desta situação, entre tantos outros.

Bom, é isso aí. Deus te abençoe.

Related Posts with Thumbnails