On terça-feira, 22 de julho de 2014 0 comentários

Boa tarde, amigos e leitores deste blog! Parece que por um tempo todo que posto começa com uma desculpa pelo tempo ausente; mas espero sinceramente que não dure mais do que o que já tem durado. Gosto muito de colocar um pouco de mim por aqui porque me sinto mais útil pra o Reino, quando o faço. Não que seja mais importante do que toda outra forma de se cumprir o ide do Senhor, até porque gosto mais do olho no olho.

Sinceramente também fico muito feliz em saber que também posso trocar uma ideia com você que pode estar distante ou bem distante. Quero que saiba que sua participação neste post, enfim, neste blog, é muito importante. Afinal nosso objetivo é que você possa construir esse post comigo e todos os demais com a gente e você está convidado a fazer isso por meio de seus comentários. Espero não ficar no monólogo que inicia isso, mas partirmos pra uma Conversa Decente Cristã. Sem mais pontos para blábláblômetro, vamos ao que mais interessa.



Hoje, me achei um lado bom da ter amanhecido com fortes sintomas de gripe e já que não pude trabalhar, assisti alguns filmes, dentre eles, Hércules. Então ainda tirando o máximo de proveito do meu estado (que não é bom, mas estou melhor agora), resolvi também escrever.

Enquanto assistia Hércules, observava e pensava nos tempos dos grandes reinados e suas conquistas. Todo reino era tomado à força, os soldados eram fieis, destemidos e davam suas vidas pelo seu rei, pelo reino, para defender sua coroa. É emocionante quando chega aquelas partes que vemos todos se disporem a lutar por Hércules, soldados e pessoas comuns, todos unidos para tomar o reino. Daí fiquei pensando sobre o Reino dos céus, aquele que também é tomado à força. Aquele que tanto falamos e na hora de testemunharmos, muitos de nós dá pra trás, tem vergonha.

Muita gente se lembra de todas as vitórias que seu “Flamengo” alcançou, contra quem foi, de quanto foi o placar... Mas quando perguntamos qual sua última vitória por Cristo, não lembra quando foi, sobre o que foi, como foi... Não lembra de nada e se a coisa apertar, nega Jesus ligeirinho. Fico pensando onde estão os cristãos como os primitivos que davam a vida pelo Reino. Tomamos partido por nosso time, nossos amigos, nossas opiniões; mas quando falamos de Jesus tudo se transforma. Nossos ideais são absolutos, nossa forma de se vestir vira a forma correta de fazê-lo, nossa forma de falar, a linguagem que usamos, se usamos ou não apetrechos... Tudo isso vira uma forma... Mas a nossa fé... Isso é relativo, cada um tem seu modo de pensar, religião não se discute, de Deus a gente até evita falar quando sabe que pode não ser bem visto, aceito, porque tem alguém ali que não acredita em Deus... Respeitamos eles, mas negligenciamos o ide, o Evangelho.

Onde estão os soldados que entenderam que foram alistados por Cristo para uma guerra? Aqueles que haja o que houver avançarão na luta pela expansão do Reino na terra. Que se oferecem em sacrifício, os candidatos à mártires?

Torcemos e distorcemos a verdadeira mensagem do evangelho. Agora, é só algo que se todo mundo fosse crente, o mundo seria um lugar melhor, porque crente não bebe, não mata, não faz filho antes do casamento... Mas quantos ainda têm em mente a volta de Cristo? Procure nos sermões de nossas igrejas aquele “Jesus está voltando!” Mas ouvimos muito aquele “sua vitória está a caminho, tenha paciência!” Muito venha a nós, “visite uma igreja mais perto de você”, mas pouco “ide e pregai o evangelho a toda criatura”. Falta o orgulho cristão. Não o orgulho doentio de achar que é melhor ou mais merecedor que os outros, mas o orgulhar-se de estar na presença de Deus, de servi-lo até o fim assumindo as consequências e riscos. Falta quem hoje esteja disposto a levar a preciosa semente andando e chorando, se esforçando, fazendo o que tem que ser feito, mas todos querem voltar sorrindo e trazendo os molhos.

Que a gente possa compreender o valor do que alcançamos pela graça de Deus, que é a salvação, mas que possamos não só entender isso, mas passar adiante, contar pra todo mundo, impensando no que podem ou não pensar sobre nós, no que pode ou não acontecer conosco. Avançar para expandir o senhorio e reinado, daquele que tem feito tanto por nós, seus humildes servos que nada merecemos. Avançarmos Pelo Rei, Pelo Reino e Pela Coroa da vida reservada para todo aquele que perseverar e for fiel até o fim.

Ahh... E falando em Reino, faz um bom tempo que não terminamos uma postagem aqui com uma boa música, acho que é uma coisa que não deveria ter parado. Então voltando aos bons hábitos, deixo pra você Whitecross, "In The Kingdom"!


Em amor e honra,
Alex Holliwer

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails